terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Será que é vida



Engraçado esse conceito chamado morte
As pessoas pensam que existe só uma morte
E esta vem do corpo físico, mas não morremos varias vezes?
Aprendemos e morremos para nascermos de novo
Não como uma nova criatura, mas com um novo pensamento.
É esse que morre e nascem, os pensamentos.
Eles são vivos na gente até morrer e nascer outro
E assim a vida vem pensamento por pensamento
Morte por vida e vida por morte.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Vamos ler



A arte de ler é para poucos
Poucos conseguem entrar em um livro
E navega-lo como se fosse mares profundos,
Uma floresta fechada a ser  descoberta.
A cada pagina é uma nova informação
Uma nova caixinha a ser descoberta
Com um segredo precioso que fica para toda sua vida.

Ler é uma arte, entender uma prioridade,
Por isso no português temos figuras de linguagem.
Um texto é recheado de novos segredos
E segredos que você vai descobrindo a cada pagina que lida.
A descoberta nos faz outra pessoa e todos os livros que lemos
Podemos dizer que somos outro. Outra pessoa.

A ficção é o olho da verdade e a verdade o olho da ficção

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Nossos Amores


 
Amor é interesse: senão for sua beleza, é seu gosto, é sua roupa, é sua sobra.
O amor já saiu dos campos da ideia e virou carne e de carne podemos toca-la
Quando virar argila nós podemos moldá-la ao nosso próprio gosto
E fazer dela o que quisermos, seja para o bem ou para o mal.
O amor é cíclico: nasce, cresce e morre. 

Algum dia tem que morrer, pois nada é para sempre.
Desgasta-se com o tempo e vai enferrujando,
Vai se desgastando com o tempo e criando novas formas,
Formas que podem até ser aproveitadas para uma nova vida.
Sim! Amor não tem só uma vida, ele nasce,cresce, morre e nasce.
E nasce quantas vezes for necessária para aprendermos uma lição.
Uma lição simples: não vivemos sem quanto menos com amor.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Angustia da anestesia



Sentir é algo que se exercita
Não se pode sentir sem tocar, cheirar, observar  
A flor mais preciosa só pela observação não se sente
Precisaremos de todos os sentidos para senti-la
E assim vai nossa vida
Não usamos os sentidos necessários para senti-la
E então estamos assim anestesiados
Parados de ante de um muro muito alto
Que não podemos ver nada, sentir nada, observar nada.
Parados ali na inércia da vida, sem poder nos movermos
Estamos anestesiados para o amor, para vida em geral.
Nossa alma está fria como o inverno
E nossas emoções caídas como uma flor no outono