sábado, 16 de abril de 2011

É o fim.

Escritor indigente: Sou indigente, louco_ sem estatus_ sem calabousos. Proucuro escrever sem comerciais ecomo já dizem por ai devem me conhecer de outros carnavais. Andarilho perdido, ramficado de ouros escritos monmentâneos que furge, agora, uma nova era, uma novo eu_ um novo ser_  goste ou não.

Mudei de blog. Ache-me se quise. Ache-me se puder. Esse é o fim dos escritos monmentâneos. Outro blog renascerá deste com escritos daqui e novos. Beijo e não me ligue.

0 comentários:

Postar um comentário