quinta-feira, 29 de abril de 2010

Dizem que a esperaça é a última que morre, então estou ainda a espera do inverno para me prender nesse lago da ilusão e de lá não quero nunca mais emergir.

sábado, 17 de abril de 2010

Não sei se escrevo, se penso, se faço, se sinto.
Eu só sei que escrevo o que axo que sinto
e por sentir, escrevo e por escrever, eu sinto.

Bom ou não, claro ou não,analizavel ou não.
eu só sei que escrevo
para tirar o peso de sentir
e sigo assim escrevendo e sentindo.
  A escuridão se esconde por trás dos olhos desatentos, atrás da podridão humana escardida sobre mascaras,sobre tudo que nos rodeia; se desmacham em carceres como estrume jogado no asfalto.  E o que sobra para os olhos atentos? a impureza do viver, a certeza da escuridão, da sujeira em seu próprio corpo que o incomoda, a felicidade injusta e atromentada. Sobre os olhos azuis cor do céu sobra a fúria, ódio,falhas,impurezas,descontentamento,rancor. Sim! apenas a vida impura; Sim! apenas a solidão.

sábado, 3 de abril de 2010

Olhos atentos de pontos opostos
olhos vidrados no que nos diverge
olhos apenas olham o que está a frente
apenas observam a paissagem que se aponta
a frente está o ceu a frente esta o mar
e cada olhar é um olhar diferente
a cada olhar é uma visão ofuscada.